terça-feira, 9 de maio de 2017

USANDO A RÉGUA (IDÉIAS)

Quando necessitamos medir a altura de uma pessoa, tamanho de uma mesa, comprar uma barra de cano ou de ferro entre outros objetos, utilizamos as medidas de comprimento. A medida de comprimento mais utilizada é o metro, mas existem outras que são utilizadas de acordo com a extensão que queremos medir. Algumas medidas de comprimento são maiores e outras menores que o metro.

O metro é considerado a medida de comprimento referencial. Observe a relação demonstrada na tabela:

Utilizamos o quilômetro para medir distâncias entre cidades, estados ou países. O metro é utilizado para expressar altura de pessoas, comprimentos, larguras, altura de prédios e de árvores. O centímetro é muito utilizado na medição de distâncias em mapas, tamanhos de mesas e objetos domésticos. O milímetro é utilizado na medição de parafusos e objetos muito pequenos.

Fonte pesquisada:http://escolakids.uol.com.br/conhecendo-os-poligonos.htm

O que o aluno poderá aprender com esta aula

Desenvolver habilidades de leitura e de escrita;
Conhecer alguns instrumentos de medida de comprimento (régua, fita métrica, entre outros);
Compreender a importância de ter uma unidade de medida padronizada;
Reconhecer o centímetro como unidade padronizada de medida de comprimento;
Resolver problemas que envolvem determinadas medidas usando o centímetro e o metro como unidade de medida;

Mostrar uma imagem e solicitar que meçam os objetos Ex: Resultado de imagem para cebolinha professor para colorir
Resultado de imagem para turma da monica para colorir

ATIVIDADE

DESCOBRINDO MINHA ALTURA (com fita métrica)
Resultado de imagem para DESCOBRINDO MINHA ALTURA
responda:
Quem é o aluno mais alto da sua turma?________________________________
E o mais baixo?___________________________________________________
Algum aluno da turma tem a mesma altura que você? Quantos?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
        4. Quantos alunos da sua turma são:
Mais alto que você?___________________________________________
Mais baixo que você?__________________________________________


Fonte/Pesquisa:http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=50514


Alguns instrumentos de medida

Resultado de imagem para INSTRUMENTOS DE MEDIDAS
Usando uma régua para tirar medidas
Imagem intitulada Measure Centimeters Step 11
Encontre o valor de centímetros na régua. Muitas réguas trazem vários conjuntos de números, que podem estar representados no sistema métrico. A lateral do objeto traz algo como {\displaystyle cm}, a abreviatura de centímetros,[1], e/ou {\displaystyle mm}, de milímetros.
Milímetros são a menor unidade métrica de quase qualquer régua. São representados pelas linhas mais curtas, que ficam entre os centímetros.[2]
A régua pode ter medidas em outro sistema de unidades, como o imperial (em polegadas), do outro lado.

Imagem intitulada Measure Centimeters Step 1


Imagem intitulada Measure Centimeters Step 2



Entenda a relação entre milímetros e centímetros. Se examinar a régua de perto, você vai ver que cada centímetro é dividido em dez partes, representadas por linhas mais curtas.



Alinhe a extremidade do objeto com a primeira linha de centímetro da régua. A ponta de réguas físicas nem sempre fica alinhada ao início do primeiro centímetro. Tenha cuidado e faça os ajustes necessários.
Deixe a régua bem reta no objeto que quer medir.

Meça o objeto em centímetros exatos. Olhe para a outra extremidade do objeto e identifique a marca que fica mais próxima dele. Dessa forma, você vai determinar o seu comprimento.

O comprimento do objeto é determinado pelo ponto em que a sua extremidade chega em relação à régua. Por exemplo: se a ponta de uma borracha ficar na linha com um 7, é porque ela tem 7 cm de comprimento.

Se estiver medindo com o centímetro mais aproximado, encontre a linha mais próxima em relação à ponta do objeto em si. Ela vai apontar o valor ideal. Por exemplo: a borracha pode ficar entre 7 e 8 centímetros. Se ficar mais próxima da linha de 7, diga que ela tem 7,x centímetros de comprimento.

Meça o objeto em um valor próximo do exato.





http://pt.wikihow.com/Medir-em-Cent%C3%ADmetros






segunda-feira, 24 de abril de 2017

ARTE MARAJOARA


  É conhecida pelo nome de arte marajoara o conjunto de artefatos, sobretudo a cerâmica, produzida por antigos habitantes da Ilha de Marajó, no Pará. Sua importância reside no fato de ser considerada a mais antiga arte cerâmica do Brasil e uma das mais antigas das Américas. Sua fase mais popular entre o público, e que também é alvo da maioria das pesquisas situa-se no período de 400 a 1400 d.C.
  O povo Marajoara, ao lado do vizinho povo Tapajós (que habitava a foz do Amazonas e todo o trecho do Rio Tapajós, responsável pela chamada “arte tapajônica”) desenvolve uma agricultura itinerante, com queimadas e derrubadas de árvores. Suas casas eram construídas sob aterros artificiais, e dedicavam-se a confeccionar cerâmicas usando técnicas decorativas coloridas e extremamente complexas, que resultaram em peças requintadas de rara beleza.
Tal produção revela detalhes sobre a vida e os costumes dos antigos povos da Amazônia. Os Marajoaras faziam vasilhas, chocalhos, machados, potes, urnas funerárias, estatuetas, apitos, bonecas para crianças, cachimbos, porta-veneno para as flechas, além de curiosas tangas de cerâmica (um tapa-sexo usado para cobrir as genitália das mulheres), talvez as únicas, não só na América mas em todo o mundo.


Resultado de imagem para ilha de marajó mapaVaso em cerâmica marajoara em detalheResultado de imagem para MARAJOARA CERAMICA


A tradição da cerâmica marajoara segue até hoje, com peças pintadas principalmente de vermelho e preto sobre fundo claro.

São José Liberto - jóias e artesanatos do Pará. ceramica
Dado o apelo comercial que a arte marajoara despertou por volta de meados do século XX, hoje em dia muitos dos moradores locais da ilha se dedicam a produzir réplicas de várias peças, especialmente os vasos, vendidos a um bom preço a turistas.

http://www.infoescola.com/artes/arte-marajoara/

Decendentes de indígenas da região mantém a tradição da cerâmica marajoara

A arte marajoara ora caracteriza-se pelo zoomorfismo (representação de animais) ou antropomorfismo (representação do homem ou parte dele), bem como a mistura das duas formas (antropozoomorfismo). Animais como serpentes, lagartos, jacarés, escorpiões, e tartarugas estão estilizados em forma de espirais, triângulos, retângulos, círculos concêntricos, ondas, etc. em técnicas variadas. Para aumentar a durabilidade do barro agregavam-se outras substâncias-minerais ou vegetais como as cinzas de cascas de árvores e de ossos, pó de pedra e concha, além do cauixi, uma esponja silicosa que recobre a raiz de algumas árvores.


Cerâmica Marajoara

Imagem relacionada


PRATOS DECORATIVOS

A civilização Marajoara não deixou cidades nem obras de arquitetura para a posteridade, mas por outro lado legou uma cerâmica capaz de reconstituir sua história. Louças e outros objetos, como enfeites e peças de decoração dos antigos povos de Marajó são exemplos da riqueza cultural dos ancestrais dos povos nativos da área.
Artesanato Marajoara: PRATOS DECORATIVOS DE PAREDE:

Artesanato Marajoara: PRATOS DECORATIVOS DE PAREDE:

Artesanais & Cia: A cultura na Ilha de Marajó!!!  A cultura marajoara formou-se na ilha de Marajó, Estado do Pará. Os índios da Ilha de Marajó utilizavam o barro para confeccionar os objetos utilitários ou decorativos. Visando aumentar a resistência das peças, misturavam o barro com outras substâncias minerais ou vegetais, como pó de pedras ou conchas, cinzas de cascas de árvores ou de ossos e o cauixi (esponja gelatinosa que recobre as raízes submersas de árvores:
Artesanato Marajoara: PRATOS DECORATIVOS DE PAREDE:
Artesanato Marajoara: PRATOS DECORATIVOS DE PAREDE:
Artesanato Marajoara: PRATOS DECORATIVOS DE PAREDE:


    GRAFISMO/PADRONAGEM/FAIXA/BODYART
  MARAJOARA E SEMELHANTES

Marajoara: tatoo marajoara perna: marajoara - Pesquisa Google: Ancient symbols,marajoara pottery,400/1400 AC: Guardas aborígenes: Arte no Blanco: Pintura Corporal Indígena - Grafismos:




segunda-feira, 17 de abril de 2017

Arte indígena brasileira

Arte indígena brasileira é a arte produzida pelos povos nativos do Brasil, antes e depois da colonização portuguesa, que iniciou-se no século XVI. Considerando a grande diversidade de tribos indígenas no Brasil, pode-se dizer que, em conjunto, elas se destacam na arte da cerâmica, plumária, do trançado e de enfeites no corpo.

História do Dia do Índio

Comemoramos todos os anos, no dia 19 de Abril, o Dia do Índio. Esta data comemorativa foi criada em 1943 pelo presidente Getúlio Vargas, através do decreto lei número 5.540. Mas porque foi escolhido o 19 de abril?

Origem da data 

Para entendermos a data, devemos voltar para 1940. Neste ano, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas deste contimente foram convidados para participarem das reuniões e decisões. Porém, os índios não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. Este comportamento era compreensível, pois os índios há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”.

No entanto, após algumas reuniões e reflexões, diversos líderes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daquele momento histórico. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio.

Comemorações e importância da data 

Neste dia do ano ocorrem vários eventos dedicados à valorização da cultura indígena. Nas escolas, os alunos costumam fazer pesquisas sobre a cultura indígena, os museus fazem exposições e os minicípios organizam festas comemorativas. Deve ser também um dia de reflexão sobre a importância da preservação dos povos indígenas, da manutenção de suas terras e respeito às suas manifestações culturais. 


Devemos lembrar também, que os índios já habitavam nosso país quando os portugueses aqui chegaram em 1500. Desde esta data, o que vimos foi o desrespeito e a diminuição das populações indígenas. Este processo ainda ocorre, pois com a mineração e a exploração dos recursos naturais, muitos povos indígenas estão perdendo suas terras.

CERÂMICA

OBS: A fabricação de artefatos de cerâmica não é característica de todas as tribos indígenas

ceramica-indigena
ceramica
Resultado de imagem para Cerâmica INDIGENA BRASILEIRA

plumária


No Brasil, existem pelo menos 30 grupos indígenas que produzem adornos plumários. Alguns deles: Xavante, Waurá, Juruna, Kaiapó, Tukano, Urubus-Kaapor, Asurini, Karajá.
A arte plumária indígena possui um caráter ritualístico, em dois níveis:
1 - A confecção das peças (modo de fazer): é feita exclusivamente pelos homens, que obedecem a um ritual de caça, coleta, separação, tingimento, corte, amarração, etc.. da matéria-prima, afim de dar uma forma específica a ela.
2 - Finalidade (simbolismo):

· A arte plumária é uma forma de comunicação, de linguagem.
Os grupos indígenas ornamentam o corpo em contraposição aos outros seres vivos (animais e outros grupos indígenas).
Contrapondo-se os diferentes grupos indígenas cria-se um diferencial, tanto no aspecto interno da tribo quando no externo a estes grupos.
· Extrapolando o conceito de enfeite, a plumária é um símbolo usado em ritos e cerimônias. Pode representar mensagens sobre sexo, idade, filiação (clã), posição social, importância cerimonial, cargo político e grau de prestígio dos seus portadores e possuidores.
· O uso dos objetos plumários é privativo aos homens principalmente nos cerimoniais onde eles possuem um papel mais destacado que as mulheres.


Matéria Prima
· Penas - são os maiores elementos da plumagem. Provenientes da cauda e das asas das aves.
· Plumas - cobertura das costas e do abdomen das aves. São menores, largas e arredondadas.
· Penugem - pequenas plumas do pescoço, das costas e do abdomen das aves. Possuem a sua estrutura descontínua.

Cor
Alteram as cores das penas tingindo-as ou através de um técnica conhecida como Tapiragem, que consiste num processo em que a pena adquire a coloração amarelo-alaranjado. É feita da seguinte forma: os índios arrancam as penas verdes do papagaio e no local esfregam uma secreção leitosa da 'pequena rã'. Assim, as penas, ao crescerem novamente, adquirem a coloração desejada
(Tribo Tukano- noroeste da Amazônia).

TRIBO DOS URUBUS-KAAPOR
· Uma das tribos mais evoluídas na arte de confecção de adornos plumários.
· Dado ao virtuosismo da execução, a delicadeza das formas e a variedade de tipos de penas e plumas utilizadas, os adornos plumários kaapor já foram definidos como "Jóia de penas".
· Adornos usados no ritual de nominação
Tembetá - ornitoforma, compõe-se de uma pena base de cauda de arara canga, que, na parte inferior, recebe uma incrustação de pele e respectivas plumas de tons azuis e negro. Em sentido diagonal, dispostos em maneira de asas, aparecem fios, destacados das penas mais longas ( da arara). Na parte superior do tembetá aparecem penas azuis em mosaico.
Colar - apito de cúbito de ave. Ladeado por feixes de penas caudais de arara. É utilizado sobre o peito com um pingente que pende sobre o dorso (também ornitofomo).
Braçadeiras - plumas alaranjadas de papo de tucano com uma representação bastante realista de flores.
Brincos, pulseiras e testeira - esta última é revestida internamente por uma fina camada de látex para aderir à pele - confeccionados com penas de saí.

TRIBO DOS KAYAPÓS
· A plumária Kayapó é extremamente variada. Possuem cocares, testeiras, diademas, braçadeiras, pulseiras, bandoleiras, ornamentos, dorsais e flechas.
· Existe uma variedade de ornamentos dentro de um mesmo grupo Kayapó. Os ornamentos variam em forma e tamanho, tornando possível a identificação dos diferentes subgrupos 

RITUAIS
· A plumária kayapó é usada nos rituais de iniciação masculina e nominação, no casamento e na paramentação dos mortos nos rituais funerários.


Os adornos plumários, hoje, são muito mais objetos confeccionados para venda ou troca com os visitantes das tribos do que para o próprio uso, como foram no passado. 

Ficheiro:Chest pendant, feathers, Kayapo - AMNH - DSC06174.JPG

Ficheiro:Jogos dos Povos Indígenas2.jpg


Ficheiro:MV - Guana Kopfschmuck.jpg

Ficheiro:Headdress, feathers, Wayana - AMNH - DSC06191.JPG



PINTURA CORPORAL

Padronagem Indigena:
988437_776057455799780_5881108494643019856_n.png (637×960):
1488329_776550109083848_1986075381086784467_n.jpg (893×960):

http://artenoblanco.blogspot.com.br/2012/04/pintura-corporal-indigena-grafismos.html

Brazilian Indian body draw:

Brasil: Pintura Indigena Corporal:
OBJETIVOS DESTE TRABALHO
Pesquisar sobre a produção plumária indígena brasileira, no âmbito ritualístico, tanto sobre a sua confecção, quanto para a que fim se destinam os adornos plumários.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

relação dos índios com a bijuteria feita com sementes
patterning in native american styled necklaces:
indios:
Feather PENS                                                                                                                                                                                 Más:
Super Simple Dream Catcher From a Paper Plate: kids Indian headband from paper | Craft two or more paper feathers and glue them on one side of your ...:
Lembrancinhas para Dia do Indio em EVA | Pra Gente Miúda:
Make me! DIY geometric necklace made from neon-bright drinking straws! Step-by-step craft tutorial - fun rainy day, homeschool or classroom activity:

that artist woman: Mixed Media:
Dani Educar : DIA DO ÍNDIO                                                                                                                                                     Mais: EDUCAÇÃO INFANTIL CRIATIVA: Lembrancinha para o dia do Indio: LEMBRANCINHAS E ATIVIDADES COM SUCATA PARA O DIA DO ÍNDIO | " Cantinho do Educador Infantil ": Foto disfressada:
Oca feita com palito de picolé | Pra Gente Miúda:
http://www.cantinhoalternativo.com.br/2016/03/40-atividades-para-o-dia-do-indio.html